Top 10 Entrevista: Rafael Akio – Handebol Taubaté

 Rafael Akio trabalha há três anos como supervisor técnico do Handebol Taubaté

Natural de São Bernardo, com passagens pelas principais equipes do país, e há três anos como supervisor técnico da equipe da Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura de Taubaté / TCC/ Unitau/ Unimed/ Milclean/ Tarumã/ Taubaté Handebol, Rafael Akio, 28 anos, é ao lado do técnico Marcus Tatá, um dos responsáveis pela excelente fase do Handebol Taubaté.

TOP 10: Como iniciou a carreira de jogador?

Akio: Comecei a jogar handebol com 12 anos no colégio São José em Sao Bernardo do Campo. Em 1996, teve um torneio internacional de handebol na minha cidade e a Metodista tinha um projeto social muito grande com observadores neste campeonato. Fui convidado a participar da escola de esportes da Metodista.

Como foi a sua carreira de atleta?

Passei quatro anos na Metodista e em 2001 fui jogar no Esporte Clube Pinheiros, que também tem um grande tradição em revelar atletas. No ano seguinte, a comissão técnica que me convidou pra jogar no Pinheiros se transferiu para São Caetano e lá joguei mais duas temporadas. Depois passei pela Hebraica e Guarulhos, conciliando com o handebol universitário (Anhembi Morumbi) em São Paulo. No último ano da graduação em fisioterapia tive que jogar apenas pela faculdade. Ao término da universidade, um grande amigo que atua na Espanha me convidou para conhecer a estrutura do handebol de primeiro mundo e quem sabe atuar em ligas menores. Passei lá dois meses vivenciando o esporte de uma forma completamente diferente do Brasil, o que despertou uma vontade muito grande de trabalhar fora das quadras.

Quando você resolveu parar de jogar handebol e porque?

Quando retornei da Espanha, vim bater uma bola aqui em Taubate e surgiu o convite do Tatá para disputar as finais da Copa Ouro de 2009. Fomos campeões e estou aqui ate hoje. Em 2011, eu já trabalhava com o Tatá na organização da equipe fora da quadra e estava jogando muito pouco devido a excelente condição dos outros pivôs. Ao fim da temporada tive uma conversa com treinador e com o Geraldo Faria, secretário de esportes, e eles me convenceram que era a hora de assumir uma nova função e largar a quadra. Foi muito difícil, porém hoje vejo que foi uma ótima decisão.

Como está sendo essa experiência pra você?

Está sendo muito legal, aprendo muito no dia a dia e consigo aplicar algumas ideias que tenho para o crescimento da nossa equipe. Acredito muito no nosso potencial de crescimento e tenho certeza que cada vez mais vamos estar entre os melhores e conquistar grandes títulos.

Qual avaliação você faz da temporada 2012?

Nossa temporada foi muito boa, o amadurecimento de uma equipe não se mede apenas pelos títulos e nossa equipe se mostrou bastante equilibrada. Nos consolidamos como terceira potência do país e com muito trabalho nas próximas temporadas as conquistas virão certamente.

Qual são os planos para 2013?

Temos muitos planos, planilhas e papeis sobre a mesa. Esta época do ano discutimos muito sobre as novas diretrizes, o que faremos e a liberdade que tenho em opinar, me deixa muito a vontade. Tenho certeza que as novidades da temporada 2013 nos trará grandes frutos.

Apoio: O Handebol Taubaté tem o apoio da Top 10 Assessoria em Comunicação Esportiva, Prefeitura de Taubaté, TCC, Unitau, Unimed, Tarumã, Oversound, Milclean, Seven 3D e RT Sports.

 

Compartilhe esta notícia: